Publicado por: marianascherrer | 28 de setembro de 2010

Boas notícias

VOLUNTÁRIOS PELA SAÚDE
Associações assistenciais e hospitais receberão grupo de voluntários da Lilly

No próximo dia 1º de outubro, mais de 120 colaboradores, entre funcionários, estagiários e prestadores de serviço da indústria farmacêutica Eli Lilly do Brasil, desenvolverão atividades voluntárias, tais como oficinas integrativas e recreação infantil, em benefício de crianças, adolescentes, adultos e idosos de instituições como APAE, AACD e GRAACC, que lidam com deficiências intelectuais, físicas e câncer infantil. Além disso, aproximadamente 200 colaboradores doarão sangue e outros 60 farão cadastramento para doação de medula óssea à Santa Casa de São Paulo.

Essas são algumas das ações pelo “Dia Mundial do Servir”, iniciativa global de cidadania e solidariedade, que reunirá aproximadamente 20 mil pessoas ligadas à empresa, em 32 países, no trabalho social.

 

LILLY PROMOVE DIA MUNDIAL DO SERVIR
A intenção é sensibilizar o público interno e proporcionar o exercício da cidadania

 Ciente da importância da responsabilidade social corporativa, a Eli Lilly and Company, ou simplesmente Lilly,  realizará a 3ª edição do Dia Mundial do Servir com ações voluntárias no mundo inteiro. Trata-se de uma ação global de cidadania e solidariedade, que reunirá aproximadamente 20 mil colaboradores, entre funcionários, estagiários, prestadores de serviço e aposentados de 32 países no trabalho social.

No Brasil, as ações do “Dia Mundial do Servir” serão realizadas no dia 1º de outubro, uma sexta-feira. Na ocasião, não haverá atividade regular de trabalho, inclusive na área de vendas.

Segundo Antônio Alas, presidente da Eli Lilly do Brasil, “A missão da Lilly é trazer sempre os melhores resultados para cada paciente. No Dia Mundial do Servir, não poderia ser diferente. Por isso, nossos colaboradores estarão em ONGs, instituições e hospitais espalhados pelo País não como funcionários Lilly, mas como cidadãos. Acredito que iniciativas como esta ajudam a dar mais sentido ao nosso trabalho e nos lembra que produzimos mais do que medicamentos; produzimos bem-estar e isto é gratificante.”

Só no Brasil, cerca de 700 pessoas participarão dessa iniciativa, que beneficiará os seguintes locais: Associação de Pais e Amigos de Excepcionais – APAE; Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD; Associação Centro Social Brooklin Paulista; Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer – GRAACC; Casa do Zezinho; Centro Rotário Educacional, Social, Cultural e Recreativo – CRESCER; Hemocentro São Lucas; Santa Casa de São Paulo e Parque Estadual do Jaraguá.

As ações dos voluntários da empresa pelo “Dia Mundial do Servir” incluem doação de sangue, aplicação – em parceria com a Junior Achievement- do programa “Atitude pelo planeta”, que conscientiza os alunos em relação à sustentabilidade; interação com o público interno das entidades e associações mencionadas acima, recreação infantil, conscientização ambiental, pintura do graffiti elaborado pela equipe do Projeto Quixote no muro externo vizinho etc. O presidente da empresa no Brasil, por exemplo, doará sangue e ajudará na pintura do muro da comunidade.

Os colaboradores da Lilly Brasil ainda visitarão as famílias vizinhas da empresa e as convidarão para atividade de revitalização do muro. Além disso, receberão informações sobre como todos podem ajudar a cuidar desse “novo” espaço criado por pessoas ligadas ao Projeto Quixote, que há 14 anos trabalha para mudar a realidade de crianças e jovens que vivem em situação de risco no centro de São Paulo.

Publicado por: estagioviverbem | 10 de dezembro de 2009

Saúde e qualidade de vida além dos 50

Virginia Silveira

Embalados pelo som dos anos 60, um grupo de idosos de Carlos Barbosa diverte-se ao mesmo tempo em que cuida da saúde. Com exercícios de alongamento, passam a tarde buscando aumentar sua qualidade de vida.

O exercício começa com a lembrança de que no dia seguinte acontece o Baile da Amizade, com os ônibus tradicionalmente passando pelas comunidades. Essa é uma das grandes diversões dos grupos que se reúnem regularmente no Centro Municipal de Convivência Antônio Martin Guerra, casa totalmente estruturada para receber pessoas acima dos 60 anos para as mais diversas atividades.

Idosos fazem exercícios duas vezes por semana no Centro de Convivência

Entre um alongamento e outro, a professora Marlei L. Krolow aproveita para dar uma boa notícia aos idosos. Em breve, com previsão para o início de 2010, eles poderão usar as academias ao ar livre. Serão espaços para convivência e prática de exercícios instalados em parques e praças pela cidade. Curiosos, os “atletas” já questionaram onde serão os pontos instalados e comemoraram ao saber que haverá um espaço próximo ao Centro de Convivência.

Dedicados não descuidam dos exercícios, mantendo a postura e respeitando as posições mostradas pela professora. Alguns demonstram grande habilidade e flexibilidade mesmo com a idade “avançada”. Eles prestam atenção sem deixar o sorriso de lado nem se intimidar com os exercícios mais difíceis.

Agora a música já está beirando à década de 80 e as atividades vão ficando mais complexas. Equilibrar-se em uma só perna não é fácil. Enquanto alguns impressionam ao manter o equilíbrio, outros procuram apoio nas paredes e nos próprios colegas para seguir com os exercícios.


Com as mangueiras de borracha iniciam os exercícios mais complexos de alongamento. Conforme a professora Marlei, a cada semana as atividades são diferentes. Finalizados os exercícios os idosos fazem uma oração de mãos dadas encerrando o dia.

Resultado que é sentido no dia-a-dia

Os benefícios dos exercícios físicos na terceira idade vão muito além da boa forma. Praticar atividades físicas como o grupo faz no Centro de Convivência beneficia os idosos diretamente em suas atividades diárias. Eles percebem que não é só a saúde que melhora. Para pentear os cabelos, caminhar, pegar algo alto em uma prateleira… cada um colhe vários benefícios se esforçando  durante as aulas.

Eles vão para a aula a pé, mesmo os que moram longe, já aproveitando para se exercitarem. Grande parte já fazia ginástica antes em academias tradicionais, mas prefere praticar as aulas no Centro de Convivência. “Aqui nós aproveitamos para conviver com outras pessoas, nos conhecemos. É muito melhor que academia”, comenta Atelma Deconti, 67 anos.

Maria Canal, 66 anos, que caminha de um bairro distante duas vezes por semana para participar das aulas, explica que antes de iniciar os exercícios frequentes pesava 57 quilos. “Depois que comecei a praticar estou com 55 quilos, mantendo esse peso há 3 anos”, comemora.

Algumas idosas conversaram com a reportagem depois da movimentada aula de alongamento. No vídeo Terezinha Bavaresco (69 anos), Odete Zanetti (60), Maria Canal (66), Atelma Deconti (67), Ana Tereza Mezzano Oro (64), Therezinha de Azevedo (64) e Almerinda Fabrin Mesturini (75) contam sobre sua satisfação em participar das atividades no Centro.


A Unisinos e o Programa Pró-Maior

Bárbara Keller

Também preocupada com o bem-estar da população idosa, a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), de São Leopoldo, possui o Programa Pró-Maior, anteriormente chamado de Núcleo Temático da Terceira Idade (Nutti). Implementado em meados de 1992, o projeto buscava promover ações de ensino, pesquisa e extensão na área de envelhecimento humano.

Ligado à diretoria de Ação Social e Filantropia da Unisinos e ao Programa de Ação Social na Área de Envelhecimento Humano, o Pró-Maior é coordenado pela educadora física e professora no Centro de Ciências da Saúde, Suzana Wolff, 50 anos.

Suzana Wolff é a coordenadora do Programa Pró-Maior

Suzana Wolff é a coordenadora do Programa Pró-Maior

Suzana explica que o Pró-Maior é um projeto de ação social voltado para a comunidade. Para quem tiver interesse de participar das atividades, ela explica que existem alguns pré-requisitos:

- possuir a idade mínima de 50 anos.

- ter autonomia para ir e vir ao projeto.

A maioria das atividades propostas pelo Pró-Maior são gratuitas e ocorrem em diversos locais como na Antiga Sede da Unisinos, no Complexo Desportivo da Universidade, entre outros. As aulas são ministradas por estagiários de diversas áreas além de professores voluntários. Na tabela abaixo, a grade de programação do projeto.

Além das atividades realizadas, o Programa tem parcerias como a Academia OPUS que oferece ginástica e musculação, três vezes na semana, pelo valor de 50 reais mensais. Além disso, os participantes do Pró-Maior tem cartão de acesso ao estacionamento da Unisinos.

Dentro do Programa Pró-Maior, Suzana explica que existem 5 projetos e destaca dois deles:

- Vivendo e Aprendendo: projeto que é desenvolvido, liderado e coordenado por idosos.

- Vida Saudável: projeto sustantado pelo Ministério do Esporte que promove o lazer na periferia da cidade.

Idosos do Programa procuram se divertir

A coordenadora lembra que o conceito de qualidade de vida para as pessoas com mais de 50 anos acaba sendo outro. Isso porque ter saúde e ser saudável é difícil depois de uma certa idade, afinal, são muitos os idosos hipertensos, diabéticos e que tomam algum tipo de medicação.

“Para os idosos qualidade de vida é saber equilibrar e gerenciar o aparecimento de situações patológicas”, explica Suzana. Para ela, se eles cuidarem da alimentação e tomarem os remédios de forma correta já estarão buscando a saúde.

“Qualidade de vida é a capacidade de equilíbrio entre as limitações e as potencialidades”, ressalta a coordenadora do Pró-Maior. Ela sugere ainda que eles busquem se divertir, interagir e se manterem ativos, sempre.

Maiores informações sobre o Programa podem ser obtidas pelo telefone 3590-8776.

Virginia Silveira

A Ginástica Laboral já é uma preocupação presente em diversas empresas. No interior do Rio Grande do Sul, logo ao pé da Serra, a cidade de Carlos Barbosa abriga a Cooperativa Santa Clara. A empresa, que possui 1.150 funcionários atualmente, conjuga indústria, comércio e administração sob a mesma direção e diversos setores já contam com a prática do exercício para começar com gás o dia de trabalho.

A prática foi implantada há cerca de 10 anos iniciando pelas atividades de Fisioterapia e hoje é tida como um dos maiores investimentos na área de saúde. A gerente de Recursos Humanos da Cooperativa, Luciane Tonin Mecca, coloca a ginástica como uma das principais atividades para o bem-estar dos funcionários da empresa.

DSC_0005

Luciane: gerente de RH da empresa Santa Clara

Luciane destaca a preocupação da Cooperativa com os funcionários tanto nas questões físicas como psicológicas. Segundo ela, a ginástica é complementada com aconselhamento psicológico e encaminhamento, quando necessário.

Há ainda outros programas de qualidade de vida como plano de saúde e vale compras em que o funcionário pode adquirir mensalmente determinado valor no próprio supermercado da empresa de alimentos.

A valorização da saúde dos colaboradores é notável sendo que a prática da Ginástica Laboral é orientada por profissionais de Educação Física contratados por meio de convênio com uma academia. Os funcionários que praticam a ginástica representam em torno de 350 pessoas, 30%  da equipe,  e usufruem diariamente dos exercícios, os quais duram entre 10 e 15 minutos.

Para Luciane, a ginástica contribui para a produção como um todo motivando funcionários em diversos aspectos e fomentando, inclusive, a integração entre o grupo.

 

Uma pausa para relaxar

Mariana Scherrer

Em uma revista de publicação mensal de Novo Hamburgo, a capital do calçado, a qualidade de vida do trabalhador também é incentivada.

A estudante do 2º semestre de Gestão Financeira do Grupo Educacional Uninter – FATEC, Natália Bitelo, ex-secretária da empresa, considera a prática da Ginástica Laboral no ambiente de trabalho fundamental para aliviar o estresse. “É uma maneira de sair um pouco do local de trabalho, de poder espairecer a cabeça”.

A moradora de São Leopoldo conta que antes de praticar as aulas tinha dores nas costas, no pescoço, nos braços e na cabeça. Ela ressalta que sente falta da ginástica nos dias em que não exercita, mas que deve haver outras maneiras de parar um pouco e descansar.

Para a aluna de 21 anos, o rendimento no trabalho melhora significativamente e as empresas que investem nessa área têm o objetivo de melhorar a qualidade de vida do trabalhador. “Infelizmente essa prática só ocorre em empresas de grande porte, com muitos funcionários. Nos escritórios, por exemplo, dificilmente os trabalhadores têm essa oportunidade”, comenta Natália.

Ela sente falta das aulas de Ginástica Laboral agora que mudou de local de trabalho. Para a estudante, a análise ergonômica é outro ponto importante para a qualidade de vida devido à adequação do corpo no local de trabalho de acordo com suas necessidades.

Aula de Ginástica Laboral

Aulas proporcionam descontração e interação entre os participantes

Já a assistente de web do veículo de comunicação, Andressa Warken, vive uma experiência diferente. Saiu de uma empresa que não investia na Ginástica Laboral e começou a trabalhar em um local com aulas frequentes do exercício. A estudante do 3º semestre de Jornalismo na Feevale acredita no investimento das empresas em prol da qualidade de vida do trabalhador.

Para Andressa, 19 anos, a participação nas aulas é fundamental para prevenir e sanar dores musculares ou de qualquer tipo. “Antes da Ginástica Laboral eu sentia um pequeno desconforto na coluna e fazendo os exercícios eu notei que melhorou”.

A estudante de Jornalismo também destaca a importância da Ginástica Laboral para o bem-estar do trabalhador e, consequentemente, para a empresa que obtém resultados a partir da satisfação de seu funcionário.

Alongamento

Os alongamentos são fundamentais para melhorar o rendimento da atividade profissional

Outra funcionária do local, Karina Brito, 34 anos, encarregada de produção gráfica, é uma das alunas que participa regularmente das aulas de Ginástica Laboral.

Você considera a prática de Ginástica Laboral importante no ambiente de trabalho?

Muito. Toda empresa deveria adotar essa prática. É claro que em algumas isso não é muito fácil devido ao número de funcionários e à atividade exercida, mas vale ao menos pensar no assunto.

Você tinha alguma dor muscular que passou com os alongamentos e demais exercícios?

Sim, nos braços e nas costas.

E o teu o rendimento no trabalho melhorou?

Não sei se o rendimento melhorou, mas com certeza faço o meu trabalho com menos dor e mais disposição depois das aulas.

Você nota alguma diferença nos dias em que frequenta a aula em relação àqueles em que a prática não é realizada na empresa?

Com certeza. Ainda não me disciplinei a fazer os alongamentos fora da aula e sem eles, aos poucos, as dores vão aparecendo, principalmente nos dias em que o volume de trabalho é maior.

Qual a sua opinião em relação às empresas? Elas estão investindo cada vez mais na Ginástica Laboral com o objetivo de melhorar a qualidade de vida e o rendimento do trabalhador?

O que eu percebo é que essa discussão está mais presente, que se lê mais notícias a esse respeito, mas acho que ainda são raras as empresas que investem nessa área. Eu, particularmente, não conheço nenhuma outra a não ser a minha.

Algum ponto não mencionado e que considera interessante comentar?

Acho que esses momentos além de proporcionar benefícios ao nosso corpo auxiliam no combate ao estresse. É um instante para relaxar, conversar, talvez ouvir música, esvaziar a mente e voltar ao trabalho com plena disposição.

Massagem

A massagem é um dos exercícios preferidos dos trabalhadores como forma de aliviar as tensões do dia-a-dia

Formada em Educação Física pela ULBRA (Universidade Luterana do Brasil – Canoas), a professora Lúcia Regina Bevilagua Paludo, destaca, além dos alongamentos e das massagens, as aulas direcionadas ao lúdico e recreativo. Nesse momento os funcionários têm a oportunidade de descontrair e esquecer o estresse do trabalho.

Lúcia, que também está cursando Fisioterapia, lamenta a postura das organizações: “As empresas buscam a Ginástica Laboral não somente para a prevenção, mas, principalmente, para divulgarem que proporcionam qualidade de vida. Essa atitude ocorre porque os critérios do PGQP (Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade) agora estão começando a direcionar para isso!”.

A profissional de 33 anos se surpreende com a não participação da maioria das chefias nas aulas de Ginástica Laboral.

Mantenha-se em equilíbrio

Virginia Silveira

Até onde a Ginástica Laboral ajuda o trabalhador? Quanto ela é responsável pela recuperação do profissional que já possui um desgaste? De onde vem esse desgaste?

Segundo o doutor Sidnei Strey, especialista em Medicina do Trabalho, o estresse é atualmente o resultado da falta de harmonia na vida e no trabalho. “Quando não há desequilíbrios não há estresse e sem estresse há saúde”, explica.

Existem muitas variáveis que desencadeiam o estresse no local de trabalho. Strey exemplifica: “O que desencadeia esse problema são situações como a função do funcionário, seu trabalho em si, o modo como ele executa suas atividades e suas condições ergonômicas”. Outras dificuldades citadas pelo médico do trabalho são as pressões existentes nesse local, suas condições e o treinamento para executar a função.

O estresse pode ser de origem orgânica ou emocional e um fator pode acabar desequilibrando o outro e agravando o estado de saúde do trabalhador. Os sintomas são específicos dependendo de cada caso e da origem do mesmo e o tratamento depende da percepção médica acerca do problema.

A Ginástica Laboral, no entanto, pode ajudar a minimizar o estresse: “Esse exercício poderá ser muito útil como coadjuvante do tratamento, mas nunca como única forma. O tratamento sempre deverá ser individualizado e nunca padronizado”, explica Strey.

Apesar da ginástica ter mais resposta quando a causa do problema é orgânica, o que é difícil acontecer, pode atuar como válvula de escape para o funcionário durante o dia de trabalho.

Strey ainda faz recomendações para uma vida mais saudável no trabalho: “Manter-se em equilíbrio e harmonia com a Natureza e a vida, com a alimentação  e no ambiente familiar. Se a pessoa conseguir manter-se em equilíbrio nessas situações dificilmente será acometida por estresse, pois seu corpo e sua mente não estarão suscetíveis a desenvolver esse problema”, tranquiliza.

Publicado por: kellerbarbara | 22 de outubro de 2009

A blogosfera a serviço do bem-estar

  • Blogs e Comunicação

Originados como diários pessoais online, os blogs se aperfeiçoaram e atualmente são uma ferramenta indispensável de conhecimento e diversão, tendo sua utilidade voltada às mais variadas tipificações.

Segundo o trabalho de Juliana Escobar, mestre em Tecnologias de Comunicação e Cultura, “Blogs e ethos jornalístico: o que há de novo?”, apresentado no VIII Encontro dos Núcleos de Pesquisas em Comunicação, “com um blog, o jornalista tem a possibilidade de expressar-se mais livremente, não estando tolhido por uma série de imposições a que está normalmente submetido quando atua em outros meios.”

Conforme a autora, algumas dessas imposições são as limitações espaço-temporais, restrições quanto ao tratamento dado aos textos e ao gênero jornalístico em que devem se enquadrar (informativo, interpretativo, opinativo), tendo que o jornalista seguir regras de estilo e redação (lead, pirâmide invertida, etc.).

Em relação ao nosso blog, Viver Bem, há muitas semelhanças com a descrição anterior. A escrita se aproxima mais do leitor justamente por nos expressarmos informalmente. Não temos que seguir uma estrutura básica como o lead, por exemplo. Quanto aos gêneros de nossa classe, podemos fazer uso de todos em um mesmo post. As limitações espaço-temporais praticamente não existem. Em qualquer local podemos atualizar e postar os textos.

Referente à temporalidade, temos um prazo, no entanto nada nos impede de acrescentarmos detalhes e aprimorarmos as nossas reportagens. Ou como diria nossa colega Roberta, fazendo a comparação com a arte de desenhar, estamos sempre finalizando, o blog nos proporciona essa possibilidade.

Juliana, que também é jornalista da Embrapa Informação Tecnológica, afirma que o blog é extremamente personalista: “é um site de uma pessoa, falando sobre o que ela deseja, da maneira como preferir, na hora em que bem entender.”

No caso do blog Viver Bem, somos um grupo de alunas com uma ideia em comum: todas querem escrever sobre qualidade de vida. A forma que se dará é decidida pela editora da postagem, no entanto, ela não se distancia da opinião das demais integrantes.

Para a jornalista do trabalho em análise, a primeira das suposições quanto ao que poderia atrair os jornalistas para a blogosfera é a liberdade permitida pelos blogs. “Um segundo aspecto a ser considerado é o fato de o jornalista ter a chance de personalizar o conteúdo.”

A chance de personalizar o conteúdo nos proporciona identificar o blog Viver Bem com a nossa cara, do nosso jeito. Consequentemente nosso trabalho é reconhecido mais facilmente pela interface de nosso meio de comunicação.

A autora nos apresenta o outro lado: “o blog também apresenta alguns riscos para o jornalista. Sua própria configuração ajuda a intensificar a histórica submissão destes profissionais à tirania do tempo, da rapidez, da velocidade, da instantaneidade. A facilidade e rapidez de publicação oferecidas pelo blog aliadas à ânsia do profissional por divulgar logo uma informação que pode ser um furo aumentam os riscos de se cometer erros.”

Cometemos falhas, sem dúvidas, no entanto, tentamos ao máximo publicar somente trechos revisados para não ocorrerem erros de qualquer espécie. O que ocorre é que normalmente ajeitamos uma palavrinha aqui, outra expressão ali, com o objetivo de melhorarmos os nossos textos.

O nosso intento inicial previa atualizações frequentes em algumas páginas. Conforme a expressão da autora “tirania do tempo” nos propomos a ampliar as informações de acordo com a disponibilidade de cada uma. Confessamos ter várias ideias que gostaríamos de colocar em prática.

Layout do nosso Blog "Viver Bem"

Layout do nosso Blog "Viver Bem"

O trabalho de Alex Primo, mestre em Jornalismo, “Blogs e seus gêneros: Avaliação estatística dos 50 blogs mais populares em língua portuguesa” trata sobre 16 gêneros a partir da tipificação dos 50 blogs mais populares em agosto de 2007.

De certa forma, nosso blog se encaixaria no gênero Profissional já que é escrito por pessoas com especialização em determinada área, ou seja, somos estudantes de Jornalismo. Nesse gênero, os posts podem ter tom informal ou não, característica similar de nossos textos, afinal escrevemos corretamente em uma linguagem jornalística, no entanto, como a própria ferramenta proporciona, a proximidade com o leitor, escrevemos mais claramente e abertamente.

Outra característica do gênero Profissional é a tematização pelo trabalho e/ou especialidade do autor. O blog Viver Bem trata de assuntos que abordem o tema qualidade de vida. O assunto foi escolhido de acordo com a proposta da disciplina Estágio Multimeios e da preferência das estudantes. Apesar de gostarmos do assunto tratado, nossas postagens respeitam ao cronograma previsto, logo blogar não se dá por puro prazer. Esse é mais um ponto levantado no trabalho de Alex Primo no gênero descrito.

Em relação aos tipos de blogs profissionais, a nossa proposta encaixa-se na subdivisão Reflexivo. Em nossos posts opinamos sobre o tema que estamos tratando. Inclusive separamos uma página para o assunto: Impressão do Repórter. Nessa seção contamos ao leitor como foi nossa experiência em uma aula de Ioga, por exemplo.

De todos os gêneros, o Grupal é o que mais se relaciona com a nossa proposta. O próprio nome já traz a ideia de ser escrito por mais de uma pessoa. Produzimos com a intenção de mantermos a mesma linha de pensamento, de opinião. A subdivisão Informativo (divulgação de informações sobre interesses comuns) define bem a nossa característica. O blog grupal Reflexivo também se encaixa no Viver Bem já que cada uma manifesta a sua opinião acerca do assunto que pesquisou e escreveu.

  • Promovendo o bem-estar na web

Encontramos outros sites e blogs cuja temática se assemelha ao Viver Bem.

1. Lu Francesa

2. Blog da Dieta

3. Revista Boa Forma

4. Blog Mundo Verde

5. Terra Vida e Saúde

6. Minha Vida

7. Home & Health

8. Women’s Health

9. Revista Saúde

10. RBS TV Vida & Saúde

  • A blogosfera a serviço do bem-estar

A partir das definições acima escolhemos dois blogs para análise. Como o assunto saúde é explorado por muitas pessoas na rede, partimos de três pré-requisitos para a escolha: proximidade de layout com o tradicional de blogs, atualizações periódicas e conteúdo.

Cabecalholufrancesacom

O primeiro blog analisado foi o de Liliana, 31 anos, brasileira que mora na França desde 2004. No seu blog ela registra, desde 2004, o desempenho em perder peso com o acompanhamento mensal de seu emagrecimento e um interessante link com o “antes e o depois”. Liliana já emagreceu 42 quilos desde 2004.

“Lu francesa, eu emagreci” pode ser caracterizado como um blog pessoal auto-reflexivo, por trazer opiniões e reflexos pessoais sobre si e sobre sua vida cotidiana. Possivelmente esse gênero permanece sendo o mais comum na blogosfera, contudo, ele não é sinônimo de blog e sim apenas um gênero entre tantos outros.

O blog da Lu, como é conhecida, reúne uma série de dicas, receitas, relatos de viagens e livros, a maioria sobre alimentação e emagrecimento. Essas informações são transmitidas por meio dos recursos de textos, imagens e vídeos.

Esse blog é um incentivo aos que pretendem perder peso e um espaço para troca de informações e frustrações de dieta. Um exemplo é a própria autora que narra com detalhes suas rotinas de alimentação, seus arrependimentos por não seguir à dieta e lições tiradas dessa experiência.

2

O segundo blog analisado é o Blog da Dieta, editado por Alexandre Costa. Ele também conta com a função de interagir em torno do assunto perda de peso. Com uma visão saudável da dieta, o autor conta sobre as suas próprias experiências em busca de atingir o peso ideal. O objetivo do blog é passar informarções às pessoas sobre dieta, exercícios físicos e nutrição, trazendo as últimas notícias a respeito dos temas.

O blog da Dieta é pessoal, e apesar de não ter fins mercadológicos, funciona através de parcerias. O autor é bem dinâmico nas postagens, se valendo sempre de fotografias, textos curtos e informativos, fotografias e vídeos explicativos.

Entre os destaques do blog está a colaboração de profissionais da área da saúde com material e textos, onde são publicadas inclusive as fotografias dos autores. Apesar de não ser noticioso, as postagens de caráter informativo bastante acentuado se mantêm no assunto tema do blog.

  • Blogs x Blog Viver Bem

Assim como a proposta dos blogs analisados, o nosso blog tem como objetivo promover os benefícios de uma alimentação saudável conciliada a práticas esportivas e promoção do bem-estar. A finalidade do “Viver Bem” é mostrar através de dicas simples e usuais, como agregar qualidade de vida ao nosso dia-a-dia.

Em relação aos blogs analisados, destaca-se que, assim como o blog Lu Francesa, o Viver Bem também conta com um espaço para divulgação de receitas saudáveis. A autora também disponibiliza materiais diversos em outras categorias, onde traz informações sobre assuntos como alimentação, chá verde, enquetes, motivação e algumas fotos e memórias da época que ainda sofria com a obesidade.

O Viver Bem também trabalha com categorias, tais como, receitas saudáveis, impressão do repórter, “in english” e ainda Ioga, com material suplementar à matéria já produzida.

Já no Blog da Dieta o conteúdo é focado na saúde. O autor também faz postagens de receitas, assim como o Viver Bem, e estas também ficam relacionadas no final das matérias similares.

As matérias produzidas por meio de parceiros ocupam a maior parte do espaço. Já o Viver Bem traz o conteúdo informativo através de entrevistas com os profissionais em detrimento das matérias assinadas, focando assim o conteúdo de forma mais jornalística.

E para reforçar como um blog pode auxiliar as pessoas nas conquistas de seus objetivos, trazemos uma sugestão de literatura postada no Blog da Lu, “Emagreci fazendo um blog“. No livro de Andréa Antonacci o leitor acompanha os resultados obtidos pela autora que, por meio de um blog, registrou toda sua rotina e desempenho em seu projeto de perder peso.

A obra tem um capítulo com a participação da blogueira Liliana (do blog da Lu francesa), onde ela conta suas frustrações, experiências e desafios.

  • Quem acessa também opina

Ao fazermos uma pesquisa com os nossos contatos de e-mail e pelo twitter, encontramos duas estudantes que costumam visitar blogs e sites cuja temática se assemelha ao nosso blog, o Viver Bem.

imagem 2

Caroline Dienstmann visita o site Boa Forma

A moradora de Novo Hamburgo, Caroline Dienstmann, de 24 anos, estuda Publicidade e Propaganda na Unisinos à noite. Durante o dia ela trabalha na agência de publicidade DCS. Ela conta que a falta de tempo a fez buscar outras alternativas para se exercitar.

O site da revista Boa Forma acessado por Caroline trata, principalmente, de saúde. Voltado para o público feminino, o site funciona de forma independente da revista. O conteúdo é diferenciado.

O site se divide em alguns assuntos principais, como os cuidados com a beleza, o corpo, oferecendo dicas de exercícios, dietas e receitas, comportamento e fala sobre as famosas. Há ainda um espaço no “Eu consegui” onde as leitoras contam suas conquistas nos respectivos assuntos.

Outra opção que o site da Boa Forma oferece são os blogs específicos para cada assunto, onde as repórteres falam de forma mais impessoal com a leitora e contam as últimas novidades ou desafios que estão realizando.

Porém tanto nos blogs, quanto no site, os recursos utilizados são, basicamente, texto e foto. Não há a utilização de áudios nas matérias, e nem de links, estes, quando aparecem, ficam na lateral do texto em num box intitulado “continue lendo”.

boa forma site

Com relação aos vídeos, na página principal do site há apenas um, que foi postado através do youtube, do making off da atriz Deborah Secco, que estampa a matéria principal. Existe uma categoria “TV Boa Forma”, mas cujo acesso não funciona. Talvez a inserção de vídeos esteja sendo implementada no site recentemente.

Já Débora Finger, de 23 anos, estuda Nutrição na Universidade Federal de Ciências de Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e dá aulas particulares de inglês. Moradora de São Leopoldo, Débora procura se informar em sites e blogs sobre assuntos relacionados à alimentação, saúde e prática de esportes.

Imagem 001

Débora Finger estuda Nutrição e visita sites e blogs que tratem do assunto

Na prática Débora também cuida da sua saúde, mantendo uma alimentação balanceada e praticando exercícios. Ela costuma jogar padel, tênis, vôlei e ainda corre, pelo menos, de 20 a 30 km. por semana.

Publicado por: estagioviverbem | 25 de setembro de 2009

Alimentação saudável: profissão e rotina diária

Bárbara Keller

Quando se fala em buscar mais qualidade de vida e em “viver bem”, logo pensamos em alimentação saudável e na prática de exercícios. E com razão. “A alimentação aliada ao equilíbrio emocional e à atividade física representam 50% dos fatores que vão determinar nossa longevidade e qualidade de vida. Já a medicina representa só 10% e a genética e ambiente 20% cada”, relata a nutricionista do Centro de Longevidade e SPA Kurotel, Talita Drecksler.

As nutricionistas do Kurotel: Talita Drecksler (E), Ignes Alvez de Oliveira (C) e Karine Feier (D)
As nutricionistas do Kurotel: Talita Drecksler (E), Ignes Alvez de Oliveira e Karine Feier / DIVULGAÇÃO

Formada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), de São Leopoldo-RS, em 2005 e especialista em Nutrição Funcional pela VP Consultoria, de São Paulo, em 2008, Talita, 26 anos, destaca que somos, literalmente, o que comemos.

“Somos formados por trilhões de células, e cada uma dessas células necessita de mais de 40 nutrientes para se formar e funcionar corretamente. Um nutriente que falte para uma célula já vai fazer com que ela tenha que trabalhar de outra forma. Se isso ocorre de maneira crônica acaba gerando sintomas e doenças”, explica.

O primeiro passo então é cuidar com o que se coloca dentro do carrinho do supermercado. Se ele estiver cheio de caixas de embalagens, CUIDADO! Talita ressalta que o consumo de frutas, verduras, cereais, batatas e feijão diminuíram, enquanto que o consumo de refrigerantes, biscoitos e produtos industrializados aumentou em média 300% nos últimos 30 anos.

Segundo ela, esses produtos são altamente processados, perdem boa parte de seus nutrientes e contêm geralmente excesso de sódio, gordura saturada, açúcar e amidos refinados que geram processos inflamatórios e aumento de estresse oxidativo, o que pode levar a doenças.

DICAS DE ALIMENTAÇÃO

A dica principal é consumir mais ALIMENTOS e menos PRODUTOS ALIMENTÍCIOS!

Veja outras dicas da nutricionista:

- incluir frutas e vegetais. Pelo menos uma porção em cada refeição.

- variar os tipos de alimentos no prato. Não comer sempre a mesma salada e a mesma fruta.

- comer leguminosas (feijões, lentilha, grão de bico) pelo menos duas vezes na semana.

- tentar substituir alimentos refinados pelos integrais (pão, arroz, macarrão) ou ao menos intercalar o uso desses alimentos.

- incluir gorduras boas na alimentação: uma colher de sopa de azeite de oliva extra virgem nas saladas e um punhado de oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, avelãs) ao dia, por exemplo.

Alimentos saudáveis

A nutricionista também dá dicas dos alimentos que devem ser evitados ou consumidos esporadicamente. São eles:

- alimentos com excesso de gordura saturada e trans (frituras, assados de padaria, folhados, carnes gordurosas, embutidos, manteiga, queijos amarelos, biscoitos recheados, etc).

- alimentos com muito açúcar (doces, chocolate ao leite ou branco, refrigerantes, biscoitos, etc).

- alimentos feitos de farinhas refinadas (pães, biscoitos, etc).

- bebidas alcoólicas.

- alimentos com excesso de corantes e conservantes.

Para Talita quanto mais cedo a alimentação for de encontro com as necessidades individuais, melhores os resultados em termos de qualidade de vida e saúde. No Kurotel, localizado na Av. Nações Unidas, 533, Bairro Bavária, na cidade de Gramado, a nutricionista trabalha diretamente com a prevenção de doenças e na promoção da saúde.

Talita no restaurante com os clientes do Kurotel
Talita no restaurante com os clientes do Kurotel / DIVULGAÇÃO

Na vida pessoal Talita também busca mais qualidade de vida. Na sua alimentação diária ela procura incluir alimentos naturais e integrais evitando alimentos que não consegue metabolizar bem, no seu caso, os laticínios e farinhas. Além disso, ela mantém uma rotina de exercícios com pilates e musculação e, eventualmente, alguma atividade de relaxamento, como a massagem.

DE MÃE PARA FILHA

Talita conta ainda que o interesse pela Nutrição surgiu quando ainda era criança. Na conversa que tivemos com sua mãe, Hanna Christine Trein Drecksler, de 49 anos, entendemos melhor a influência da alimentação saudável na vida da nutricionista.

Hanna fazendo pães em casa
Hanna fazendo pães em casa

A terapeuta corporal e doceira, Hanna Drecksler, explica que há 22 anos ela começou fazendo biscoitos integrais e logo depois iniciou com a produção de pães, também integrais. Apesar dessa preocupação com uma alimentação de qualidade vir de casa, a ideia de Hanna fazer produtos integrais para venda surgiu também por outro motivo.

Portanto, Hanna decidiu mudar a alimentação de toda a família evitando, principalmente, os produtos industrializados. A produção de pães integrais em casa foi uma alternativa encontrada.

Como Hanna não estava trabalhando no momento, ela viu nessa ideia a oportunidade de fazer algo para aumentar a renda da família e contribuir para uma alimentação mais saudável. A partir deste momento a família Drecksler excluiu de sua alimentação diária os alimentos refinados e açúcar, passando a consumir pão e arroz integral, muitas frutas e verduras e açúcar mascavo em pequenas quantidades.

100_2045100_2048

Com essa mudança, Talita não teve mais crises de alergia e de asma. Isso mostra que a alimentação saudável contribui para a saúde e qualidade de vida. Porém, essa transição na rotina alimentar da família não foi nada fácil.

Hanna conta que ainda é difícil para a maioria das pessoas consumir alimentos naturais. Ela acredita que a procura por produtos integrais não alcance 5% da população. “Isso é um chute, claro. A maioria das pessoas só se obriga a comer e não porque está consciente das potencialidades nutritivas daqueles alimentos”, acrescenta.

A alimentação saudável é uma parte importante na busca da qualidade de vida.

Atualmente Hanna produz pão integral, pão misto de centeio, pão sueco (conhecido na cultura alemã como Knäckebrot), alguns doces, biscoitos integrais e granola. Ela vende seus produtos em alguns estabelecimentos da cidade de Gramado, onde reside, além das encomendas feitas por hotéis e dos clientes que vão comprar em sua própria casa.

Os produtos integrais que Hanna faz para vender
Os produtos integrais que Hanna faz para vender

Talita e Hanna Drecksler são exemplos de pessoas que trabalham para proporcionar uma alimentação mais saudável às pessoas e que procuram trazer isso para a sua rotina garantindo assim uma vida de qualidade.

See this post in english.

Publicado por: estagioviverbem | 25 de setembro de 2009

Ioga: um momento de paz e equilíbrio entre corpo e mente

Roberta Pacheco

Surgida há milênios, a Ioga é um conceito que se refere às tradicionais disciplinas físicas e mentais originárias da Índia. É uma ciência do autoconhecimento, um sistema de práticas, exercícios, filosofias e condutas éticas cujo objetivo é a integração do ser atingindo equilíbrio entre corpo e mente.

A origem da palavra Ioga vem do sânscrito (antigo idioma hindu) e significa a união do corpo, da mente e do espírito. Suas primeiras ideias foram citadas nos Vedas, livros sagrados do hinduísmo e escritos mais antigos da humanidade.

Movimento Ioga

Patanjali, grande filósofo indiano, foi o primeiro a sistematizar a Ioga por volta de 300 A.C. Aperfeiçoado há séculos por gerações de mestres iogues, como são chamados os praticantes avançados da Ioga, o sistema acabou por se converter em um método de considerável eficácia. Segundo Patanjali, os benefícios da Ioga são conquistados com prática e desapego aos resultados.

“Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo”

O Espaço de Ioga Luise, localizado na cidade de Esteio-RS, é um convite a prática da Ioga por trazer uma proposta de aula que envolve muito mais que posturas e meditação. Atualmente há no Espaço seis turmas com alunos de 15 a 75 anos.

As primeiras atividades começaram ainda na década de 70 em reuniões organizadas por Luise Bilstein Beringhs, hoje com 87 anos e com mais de 38 anos de experiência ministrando aulas de Ioga. Luise deu aulas até janeiro deste ano, quando entrou em licença saúde.

Elisabeth Robaldo, filha de Luise, ocupa hoje o cargo de professora de Ioga do Espaço, papel que já vinha exercendo junto com a mãe desde 2002. Segundo Beth, como é conhecida pelos alunos, “algumas técnicas complementares realizadas junto com os exercícios ajudam a fortalecer a musculatura, aumentar a flexibilidade e trabalhar a concentração, a respiração e a estimular o fluxo de energia”.

Beth, que tem formação nos cursos de Ioga Integral e Reiki nível I e II,  afirma que a Ioga é uma filosofia cuja intenção é despertar a força que existe em cada um de nós tanto para o bem-estar físico e mental.

A prática desperta a vontade de ser mais saudável, ter uma alimentação melhor, tratar as pessoas com generosidade e tolerância. “Ioga significa união do corpo, da mente e do espírito. As nossas aulas visam corrigir a postura, reduzindo o stress, a insônia e a ansiedade. Acreditamos em corpo são, mente sã. As posturas massageiam os órgãos internos e também as glândulas melhorando o funcionamento de todos os órgãos”, explica a professora.

As posturas, ou asanas conforme a linguagem da Ioga, podem ser feitas por qualquer pessoa e o objetivo primordial de cada postura é fazer com que a pessoa esvazie a mente das atribulações cotidianas para que possa elevar-se espiritualmente. No entanto Beth salienta que é fundamental não ultrapassar os próprios limites.

Movimento Ioga

A professora conta que muitas pessoas procuram o Espaço sem saber como é realmente uma aula de Ioga e que se surpreendem, pois, à primeira vista, a aula de atitudes corporais e meditação pode parecer uma simples prática de alongamentos, porém muitos aspectos  físicos, filosóficos e espirituais estão sendo trabalhados enquanto o corpo assume as diversas posturas (equilíbrio, força, flexibilidade, torções, lateralidades, invertidas…) e entrega-se a uma respiração que pretende aproveitar toda a força vital do oxigênio ou prana, como é conhecido o termo na linguagem da Ioga.

Além disso, quando se aproxima o final da aula existe um momento dedicado à meditação, a aquietar a mente, até que se experimente o estado de calma e integração. Uma das alunas, Tânia Maria Vieira Rocha, explica os benefícios da prática da ioga.

As pessoas procuram o Espaço por diversos motivos e são notáveis os benefícios gerados pela prática da Ioga. “Alguns alunos dizem que agora dormem melhor e o intestino também funciona melhor. Temos alunos com síndrome do pânico que dizem conseguir evitar as crises por meio da respiração. Muitos relatam melhora nas dores nas costas, no ciático, conseguem respirar melhor, sentem menos ansiedade e muitos vencem seus medos… sentem-se mais felizes.”

Namastê (saudação da Ioga que significa “o que há de mais divino em mim reverencia o que há de mais divino em você”).

See this post in english.

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.